Parka masculina: saiba como compor looks modernos com a peça indispensável no inverno

Inspirada em trajes militares, a parka masculina se tornou popular no final dos anos 50 e influencia a moda até hoje. Saiba como compor looks modernos com essa jaqueta estilosa que faz parte de uma história curiosa da moda.
4161816_image

A Parka masculina é uma ótima pedida para dias muito frios. Normalmente é composta por várias camadas de tecido impermeável e remete à elegância e força dos militares.

Atemporal e muito versátil, a peça pode ser utilizada de diversas maneiras e combinada com muitos estilos de homem. Ela funciona para invernos mais rígidos e também para tempos menos severos.

Com o que usar a parka masculina?

Não confunda a parka masculina com camisas, coletes ou jaquetas militares, que podem ser usados sozinhos como uma demonstração de estilo.

Em locais mais frios a parka masculina normalmente é usada com calças e coturnos que relembram o estilo militar.

Porém é importante deixar claro que não existe uma regra sobre como usar a parka masculina, já que o intuito da peça é aquecer.

Atualmente é possível encontrar parkas com capuz e forros removíveis. Portanto é possível adaptar a peça ao clima.

Tendo em vista que a parka masculina sobrepõe todas as outras e ganha destaque, o ideal é que a cor da parka mude de acordo com o ambiente:

  • Executivo

Opte por cores neutras, sendo assim mais escuras e sapatos sociais.

  • Casual

Parka composta por cores mais vivas e diversas. Ouse nos coturnos.

Origem da parka

Parka é uma palavra que literalmente significa “pele animal”, sendo originária do idioma nativo dos Nenets, povo que vaga pela costa do Oceano Ártico na Rússia.

Os Nenets fazem parte de uma minoria étnica da Rússia e se locomovem livremente pelas fronteiras em trenós conduzidos por renas.

Este povo é descendente dos Inuits, indígenas esquimós, nativos do Ártico Canadense, Alaska e Groenlândia.

Tendo em vista que eles ainda seguem a tradição dos antepassados, não deixaram de usar a pele de animais para fabricar roupas e construir tendas.

A parka masculina, como conhecemos atualmente, passou por muitas transições históricas, porém ainda carrega características da criação original dos Inuits:

  • Tecido impermeável

Em regiões onde as temperaturas normalmente são negativas, se tornam indispensáveis tecidos que mantêm o corpo aquecido e seco durante a caça em rios.

  • forro composto por muitas camadas

A sobreposição de tecidos também é importante para manter a temperatura corporal durante o cotidiano de caça e pesca.

  • capuz

O capuz original era forrado com pêlo de animais para esquentar de forma segura a região do rosto que ficava mais exposta ao frio.

  • bolsos

Curiosamente os bolsos nas parkas originárias dos povos do ártico, eram usados para que mulheres transportassem os bebês e os mantivessem seguros e aquecidos.

Transição militar

Nos anos 50 a parka masculina fez parte da história da Guerra da Coréia. Sendo, portanto, parte do uniforme do Exército, do Corpo de Fuzileiros e da Força Aérea.

Isso se deu por conta das características da parka, composta por tecidos impermeáveis e adaptáveis às mais diversas temperaturas.

Durante a Segunda Guerra Mundial a parka militar foi desenvolvida utilizando lã e nylon como matéria prima.

Deste modo, os soldados ficavam protegidos de temperaturas que chegavam a 60 graus negativos.

Sendo assim, vários modelos diferentes de parka masculina precisaram ser confeccionados para lidar com cenários distintos da guerra:

  • N-3

Começando com a edição original em 1945 a parka N-3 era cor verde oliva, tendo a parte do capuz composta por pele de lobo e castor. O nylon e a lã de carneiro eram utilizados na confecção do forro.

  • N-3 A

Em 1950, a Força Aérea se separa do Exército e a cor externa da parka muda para azul.

  • N-3B Snorkel

Desenvolvido em 1958, o modelo era de cor cinza  indicado para ambientes extremamente frios.

Uma característica do modelo Snorkel é possuir um fecho no capuz que deixa apenas os olhos de fora.

Em 1965 a parka masculina foi remodelada e se tornou popular como parka de pescador.

Levou este nome por se parecer com as capas usadas por pescadores em alto mar.

Das trincheiras ao cinema

Seguindo o curso da história, a parka masculina sofreu inúmeras alterações nas cores e matéria prima utilizadas durante a confecção.

Nos anos 60 a parka masculina se tornou popular entre a tribo dos Mods Londrinos, uma subcultura com adeptos jovens obcecados por moda e música.

Posteriormente, na década de 70, a parka masculina caiu no gosto de astros do cinema e compôs o estilo de Sylvester Stallone, no filme Rambo.

Em 79 o cinema trouxe a parka masculina no figurino do “Quadrophenia”.

O filme retrata a cultura dos mods e usa a parka para homenagear e valorizar os pilotos combatentes na guerra.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe seu Comentário

Fechar Menu